Em formação

O nível de testosterona causa mais conteúdo de sonho sexual?

O nível de testosterona causa mais conteúdo de sonho sexual?

Há muito tempo estou interessado em sonhar, incluindo como o conteúdo dos sonhos pode lançar alguma luz sobre a química do cérebro.

Eu fiz uma pesquisa sobre o assunto dos níveis de testosterona alterando o conteúdo dos sonhos e vi algumas evidências anedóticas de fóruns de fisiculturismo e usuários de androgel.

Essas pessoas relatam sonhos molhados, enquanto outras relatam maior conteúdo sexual nos sonhos.

Os níveis elevados de testosterona causam um conteúdo de sonho sexual mais explícito?


Por que os homens têm ereções durante o sono e costumam acordar com o "bosque matinal"

Como educadora sexual, muitas vezes me perguntaram ao longo dos anos por que os homens costumam acordar com ereções (ou "ereção matinal", como são conhecidos coloquialmente). Neste post, explorarei o porquê e também o que acontece com o pênis de maneira geral durante o sono.

Pessoas que nasceram com pênis - independentemente de se identificarem como homens - têm uma média de 4-5 ereções durante uma noite inteira de sono. Fato pouco conhecido: pessoas nascidas com clitóris - novamente, independentemente de sua identidade de gênero - vivenciam a mesma coisa.

Essas ereções do sono duram, em média, entre 25-35 minutos cada. Isso é algo que acontece ao longo da vida, começando na infância e prosseguindo na vida adulta.

Essas ereções ocorrem especificamente durante o sono REM (momento rápido dos olhos). Os seres humanos passam por 4-5 períodos de sono REM a cada noite (daí o motivo pelo qual existem 4-5 ereções), e passamos cerca de um quarto a um quinto de uma noite total de sono no estado REM. Se acontecer de você acordar durante um desses horários, bem, é daí que vem a ereção matinal.

Há muito que ainda não entendemos sobre o sono REM, mas sabemos que é quando os sonhos tendem a ocorrer. Nossos cérebros ficam mais ativos durante esse período (na verdade, eles atingem um nível de atividade semelhante a estar acordado). No entanto, não é o conteúdo dos próprios sonhos que causa as ereções noturnas. Embora os sonhos sexuais e as ereções noturnas possam ocorrer simultaneamente, um não causa necessariamente o outro.

Em vez disso, acredita-se que as ereções noturnas se devam aos efeitos hormonais e neurotransmissores que ocorrem durante o sono REM. Por exemplo, há mudanças nos níveis de testosterona e prolactina durante o sono, e seu pico durante o ciclo REM. Ambos são conhecidos por desempenhar um papel nas funções sexuais e reprodutivas.

Ao mesmo tempo, há também maior liberação de acetilcolina e menor liberação de norepinefrina em certas regiões do cérebro - e ambos os neurotransmissores são conhecidos por desempenhar um papel na regulação das ereções.

O padrão geral é tal que tende a haver mais estimuladores de ereção presentes no cérebro durante esse período.

As ereções que ocorrem durante o sono REM são consideradas normais e saudáveis. A falta de ereções relacionadas ao sono é, na verdade, um dos indicadores mais comuns de disfunção erétil grave - e essa é uma forma fundamental de os médicos distinguirem entre DE que tem causas físicas e psicológicas. Em outras palavras, se tudo está funcionando normalmente durante o sono, isso é um sinal de que os problemas de ereção durante os períodos de vigília provavelmente têm uma causa psicológica.

Então, qual é o propósito dessas ereções noturnas? Existem algumas escolas de pensamento. Uma é que essa é uma forma de promover a saúde genital. Especificamente, essas ereções podem ajudar a manter o tecido funcional e saudável, promovendo mais oxigenação.

No entanto, outra hipótese que foi sugerida é que pode haver uma função sexual e reprodutiva potencial: "as ereções relacionadas ao sono REM dos homens durante o sono podem ter evoluído para permitir a procriação independentemente de sua vontade ou intenção" (Youn, 2017). Em outras palavras, visto que passamos tanto tempo dormindo, talvez o corpo humano tenha evoluído para potencialmente permitir a procriação durante esse período? Se isso é realmente verdade, não podemos dizer com certeza - é apenas outra ideia que foi proposta e, não surpreendentemente, é bastante controversa.

Para uma revisão mais detalhada da pesquisa sobre ereções noturnas, consulte: Youn, G. (2017). Por que os homens saudáveis ​​têm ereções matinais? The Open Psychology Journal, 10(1).

Quer saber mais sobre Sexo e psicologia? Clique aqui para mais do blog ou aqui para ouvir o podcast. Seguir Sexo e psicologia sobre Facebook, Twitter (@JustinLehmiller), ou Reddit para receber atualizações. Você também pode acompanhar o Dr. Lehmiller no Youtube e Instagram.


O que a alta testosterona faz a um homem?

As qualidades de confiança, ambição e força estão intimamente associadas aos altos níveis de testosterona.

Não é por acaso que essas características são predominantemente masculinas. Quanto mais testosterona você tiver, maior será a capacidade de expressão dessas qualidades.

O aumento da testosterona tem efeitos cognitivos e fisiológicos poderosos.

Pode aumentar sua tolerância ao estresse, ajuda a aliviar a fadiga, tem efeitos de iluminar o humor e melhora a composição corporal (redução de gordura / aumento de músculos).


O que saber sobre masturbação e testosterona

Muitas pessoas acreditam que a masturbação afeta os níveis de testosterona de um homem, mas isso não é necessariamente verdade. A masturbação parece não ter nenhum efeito duradouro nos níveis de testosterona.

No entanto, a masturbação pode ter efeitos de curto prazo sobre os níveis desse hormônio. Também afeta outros fatores, como desejo sexual. A masturbação normalmente não representa uma ameaça a quaisquer outros aspectos da saúde física de uma pessoa.

Neste artigo, discutimos os possíveis efeitos de curto e longo prazo da masturbação nos níveis de testosterona. Também consideramos os resultados da abstinência, a influência da testosterona no desejo sexual e os sinais de testosterona alta e baixa.

Compartilhar no Pinterest A pesquisa atual não mostra evidências de que a masturbação tenha um efeito de longo prazo sobre os níveis de testosterona.

Os pesquisadores estão interessados ​​nos efeitos de curto e longo prazo da masturbação nos níveis de testosterona. No entanto, a pesquisa até o momento é limitada e um tanto conflitante.

Uma razão para isso é que é difícil para os cientistas em um laboratório recriar um ambiente em que as pessoas se masturbassem normalmente.

Um estudo usou um clube de sexo dos Estados Unidos para avaliar as mudanças nos níveis de testosterona em resposta a estímulos sexuais em um ambiente do mundo real.

Os pesquisadores compararam os níveis de testosterona salivar em homens que participaram da atividade sexual com aqueles em homens que apenas observaram. Enquanto os níveis de testosterona aumentaram em todos os homens que visitaram o clube de sexo, o aumento foi significativamente maior naqueles que participaram.

Um estudo anterior de 1992 avaliou os efeitos da atividade sexual nos níveis de testosterona em homens e mulheres. Os pesquisadores mediram os níveis de testosterona antes e depois da relação sexual e também nos dias em que não havia sexo.

Em homens e mulheres, os níveis de testosterona eram mais elevados após a relação sexual. Os níveis eram mais baixos antes do sexo e nos dias sem relação sexual. Esses resultados sugerem que a atividade sexual influencia a testosterona em vez da testosterona que influencia a atividade sexual.

Em um estudo de 2007 em ratos, os pesquisadores descobriram que o número de receptores de estrogênio era maior 24 horas após a ejaculação ou acasalamento até a saciedade sexual. Os receptores de estrogênio ajudam o corpo a usar o estrogênio.

Um estudo diferente com ratos do mesmo ano descobriu que o número de receptores de andrógenos, que ajudam o corpo a usar a testosterona, era menor 24 horas após a ejaculação ou saciedade sexual.

Ainda faltam pesquisas sobre os efeitos de longo prazo da masturbação nos níveis de testosterona.


Efeitos fisiológicos [editar | editar fonte]

Em geral, os andrógenos promovem a síntese de proteínas e o crescimento desses tecidos com receptores de andrógenos. Os efeitos da testosterona podem ser classificados como virilizantes e anabólicos, embora a distinção seja um tanto artificial, já que muitos dos efeitos podem ser considerados ambos. A testosterona é anabólica, o que significa que aumenta a massa óssea e muscular.

  • Efeitos anabólicos incluem o crescimento da massa e força muscular, aumento da densidade e força óssea e estimulação do crescimento linear e maturação óssea.
  • Efeitos androgênicos incluem a maturação dos órgãos sexuais, particularmente o pênis e a formação do escroto no feto, e após o nascimento (geralmente na puberdade), um engrossamento da voz, crescimento da barba e pelos axilares. Muitos deles se enquadram na categoria de características sexuais secundárias masculinas.

Os efeitos da testosterona também podem ser classificados pela idade de ocorrência normal. Para efeitos pós-natais em homens e mulheres, eles dependem principalmente dos níveis e da duração da testosterona livre circulante.

Pré-natal [editar | editar fonte]

A maioria dos efeitos androgênicos pré-natais ocorrem entre 7 e 12 semanas de gestação.

  • Virilização genital (fusão da linha média, falicuretra, afinamento e rugosidade escrotal, aumento fálico), embora o papel da testosterona seja muito menor do que o da Diidrotestosterona.
  • Desenvolvimento da próstata e vesículas seminais & # 9117 & # 93

Primeira infância [editar | editar fonte]

Efeitos androgênicos na primeira infância são os menos compreendidos. Nas primeiras semanas de vida dos bebês do sexo masculino, os níveis de testosterona aumentam. Os níveis permanecem na faixa puberal por alguns meses, mas geralmente atingem os níveis quase imperceptíveis da infância por volta dos 4-6 meses de idade. & # 9118 & # 93 & # 9119 & # 93 A função desse aumento em humanos é desconhecida. Especula-se que a "masculinização do cérebro" está ocorrendo, uma vez que nenhuma mudança significativa foi identificada em outras partes do corpo. & # 9120 & # 93 [citação necessáriaSurpreendentemente, o cérebro masculino é masculinizado pela testosterona sendo aromatizada em estrogênio, que atravessa a barreira hematoencefálica e entra no cérebro masculino, enquanto os fetos femininos têm alfa-fetoproteína que liga o estrogênio para que os cérebros femininos não sejam afetados. & # 9121 & # 93

Pré-peri-púbere [editar | editar fonte]

Efeitos pré-peri-púberes são os primeiros efeitos observáveis ​​do aumento dos níveis de androgênio no final da infância, ocorrendo em meninos e meninas. & # 91vago]

  • Odor corporal de adulto
  • Aumento da oleosidade da pele e do cabelo, acne (aparência de pelos pubianos)
  • Estirão de crescimento, maturação óssea acelerada no lábio superior e patilhas.

Pubertal [editar | editar fonte]

Efeitos pubertários começam a ocorrer quando o andrógeno está mais alto do que os níveis normais de mulheres adultas por meses ou anos. Nos homens, esses efeitos são comuns na puberdade tardia e ocorrem nas mulheres após períodos prolongados de níveis elevados de testosterona livre no sangue.

  • Aumento das glândulas sebáceas. Isso pode causar acne. alargamento ou clitoromegalia
  • Aumento da libido e frequência de ereção ou ingurgitamento clitoriano
  • A produção de padrões adultos de crescimento de pêlos, por exemplo, os pelos púbicos se estendem até as coxas e sobem em direção ao umbigo e aparecem os pêlos axilares.
  • A gordura subcutânea no rosto diminui
  • Aumento da força e massa muscular & # 9122 & # 93
  • Intensificação da voz
  • Crescimento do pomo de adão
  • Crescimento de tecido espermatogênico nos testículos, fertilidade masculina
  • Crescimento da mandíbula, sobrancelha, queixo, nariz e remodelação dos contornos dos ossos faciais
  • Os ombros ficam mais largos e a caixa torácica se expande
  • Conclusão da maturação óssea e término do crescimento. Isso ocorre indiretamente por meio dos metabólitos do estradiol e, portanto, de forma mais gradual nos homens do que nas mulheres.

Adulto [editar | editar fonte]

Efeitos da testosterona em adultos são mais claramente demonstráveis ​​em homens do que em mulheres, mas provavelmente são importantes para ambos os sexos. Alguns desses efeitos podem diminuir à medida que os níveis de testosterona diminuem nas últimas décadas da vida adulta.

  • Libido e ingurgitamento clitoriano / frequência de ereção peniana
  • Regula a resposta aguda de HPA (eixo hipotálamo-pituitária-adrenal) sob desafio de dominância & # 9123 & # 93
  • Energia mental e física
  • Manutenção do trofismo muscular
  • Em animais (perdizes e lagartos de areia), níveis mais altos de testosterona têm sido associados a uma redução da atividade do sistema imunológico. A testosterona parece ter se tornado parte do sistema de sinalização honesto entre parceiros em potencial no curso da evolução. & # 9124 & # 93 & # 9125 & # 93
  • Os estudos mais recentes e confiáveis ​​mostraram que a testosterona não causa ou produz efeitos deletérios no câncer de próstata. Em pessoas que se submeteram à terapia de privação de testosterona, os aumentos de testosterona além do nível de castração mostraram aumentar a taxa de disseminação de um câncer de próstata existente. & # 9126 & # 93 & # 9127 & # 93 & # 9128 & # 93
  • Estudos recentes têm mostrado resultados conflitantes sobre a importância da testosterona na manutenção da saúde cardiovascular. & # 9129 & # 93 & # 9130 & # 93 No entanto, a manutenção de níveis normais de testosterona em homens idosos demonstrou melhorar muitos parâmetros que se acredita reduzir o risco de doenças cardiovasculares, como aumento da massa magra corporal, diminuição da massa de gordura visceral, diminuição do colesterol total, e controle glicêmico. & # 9131 & # 93
  • Sob o desafio de dominância, pode desempenhar um papel na regulação da resposta de luta ou fuga & # 9132 & # 93
  • A testosterona regula a população de tromboxano A2 receptores em megacariócitos e plaquetas e, portanto, agregação plaquetária em humanos & # 9133 & # 93 & # 9134 & # 93

Intervalos de referência para exames de sangue, mostrando os níveis de testosterona em homens adultos em azul claro no centro-esquerdo.

  • A testosterona é necessária para o desenvolvimento normal do esperma. Ativa genes nas células de Sertoli, que promovem a diferenciação das espermatogônias.

Cérebro [editar | editar fonte]

Como a testosterona afeta todo o corpo (muitas vezes os homens aumentam de tamanho, têm corações, pulmões, fígado maiores, etc.), o cérebro também é afetado por esta diferenciação "sexual" & # 9117 & # 93, a enzima aromatase converte a testosterona em estradiol, que é responsável por masculinização do cérebro em camundongos machos. Em humanos, a masculinização do cérebro fetal parece, pela observação da preferência de gênero em pacientes com doenças congênitas de formação de andrógenos ou função de receptor de andrógeno, estar associada a receptores de andrógeno funcionais. & # 9135 & # 93

Existem algumas diferenças entre os cérebros masculino e feminino (possivelmente o resultado de diferentes níveis de testosterona), sendo uma delas o tamanho: o cérebro humano masculino é, em média, maior. & # 9136 & # 93 Em um estudo dinamarquês de 2003, descobriu-se que os homens tinham um comprimento total de fibra mielinizada de 176.000 & # 160 km aos 20 anos de idade, enquanto nas mulheres o comprimento total era de 149.000 & # 160 km. & # 9137 & # 93 No entanto, as mulheres têm mais conexões dendríticas entre as células cerebrais. & # 9138 & # 93

Um estudo conduzido em 1996 não encontrou efeitos imediatos de curto prazo no humor ou comportamento da administração de doses suprafisiológicas de testosterona por 10 semanas em 43 homens saudáveis. & # 9122 & # 93 Outro estudo encontrou uma correlação entre testosterona e tolerância ao risco na escolha de carreira entre mulheres. & # 9139 & # 93

A literatura sugere que atenção, memória e habilidade espacial são funções cognitivas fundamentais afetadas pela testosterona em humanos. Evidências preliminares sugerem que baixos níveis de testosterona podem ser um fator de risco para declínio cognitivo e possivelmente para demência do tipo Alzheimer, & # 9140 & # 93 & # 9141 & # 93 um argumento chave na medicina de extensão de vida para o uso de testosterona no anti-envelhecimento terapias. Grande parte da literatura, no entanto, sugere uma relação curvilínea ou mesmo quadrática entre o desempenho espacial e a testosterona circulante, & # 9142 & # 93, onde tanto a hipossecreção quanto a hipersecreção (sobre e subseção) de andrógenos circulantes têm efeitos negativos sobre a cognição e cognitivamente agressividade modulada, conforme detalhado acima.

Ao contrário do que foi postulado em estudos desatualizados e por certos setores da mídia, o comportamento agressivo não é tipicamente visto em homens hipogonadais que têm sua testosterona substituída de forma adequada para a faixa eugonadal / normal. Na verdade, o comportamento agressivo tem sido associado a hipogonadismo e baixos níveis de testosterona e parece que níveis suprafisiológicos e baixos de testosterona e hipogonadismo causam transtornos de humor e comportamento agressivo, com níveis de testosterona eugondal / normal sendo importantes para o bem-estar mental. O esgotamento da testosterona é uma consequência normal do envelhecimento nos homens. Uma possível consequência disso poderia ser um risco aumentado de desenvolvimento da doença de Alzheimer. & # 9143 & # 93 & # 9144 & # 93


O excesso de hormônios pode causar uma condição que pode levar à cegueira nas mulheres, segundo estudo

Pesquisa liderada pela Universidade de Birmingham descobriu que níveis elevados de hormônios, incluindo testosterona, podem causar uma doença cerebral que pode levar à cegueira nas mulheres.

A Hipertensão Intracraniana Idiopática - também conhecida como HII - é causada por pressão alta no cérebro com consequências que vão desde a cegueira até dores de cabeça diárias incapacitantes de longo prazo. A HII foi identificada originalmente há mais de 100 anos, mas a causa da doença permaneceu desconhecida, embora haja muita especulação sobre por que mais de 95 por cento da incidência total é em mulheres com obesidade.

Antes considerada rara, a incidência de HII está aumentando dramaticamente em linha com o aumento global da obesidade e houve um aumento de 150 por cento na incidência nos últimos 10 anos. Atualmente, existem opções de tratamento muito limitadas.

Cientistas da Universidade de Birmingham realizaram pesquisas, financiadas pelo National Institute of Health Research (NIHR), o Medical Research Council UK e Wellcome Trust e publicadas hoje em JCI Insight, explorando o papel de hormônios conhecidos como andrógenos no desenvolvimento de HII.

Os pesquisadores examinaram os níveis de andrógenos no sangue e na urina, bem como no líquido cerebral conhecido como líquido cefalorraquidiano (LCR), em 55 mulheres com HII entre 18 e 45 anos. Eles então compararam os resultados com os níveis observados em mulheres com obesidade de a mesma idade e índice de massa corporal (IMC), bem como uma coorte de mulheres com síndrome dos ovários policísticos (SOP).

A SOP é uma condição comum e está classicamente associada a níveis elevados de tipos específicos de andrógenos, que podem causar excesso de cabelo e períodos irregulares.

Os pesquisadores descobriram que os pacientes com HII tinham um perfil muito diferente de níveis elevados de andrógenos em comparação com mulheres de idade semelhante com obesidade e mulheres com SOP. Mais notáveis ​​foram os altos níveis do andrógeno 'testosterona' encontrados no sangue em mulheres com HII. Crucialmente, os níveis de andrógenos foram aumentados exclusivamente no fluido cerebral (LCR) de mulheres com HII. Quando os pesquisadores analisaram o tecido do plexo coroidal humano, que é o local do cérebro onde o LCR é produzido, eles confirmaram que os andrógenos podem aumentar a taxa de secreção do LCR, um fator potencial para o aumento da pressão cerebral.

O autor correspondente e sênior, Dr. Alex Sinclair, Cientista Clínico do NIHR da Universidade de Birmingham, disse: "Por mais de 100 anos, a causa da HII foi desconhecida.

"Essas descobertas marcam um passo importante à frente pela primeira vez em que encontramos um padrão de desregulação androgênica que é exclusivo da HII e potencialmente um impulsionador da pressão cerebral anormal em pessoas com a doença.

"Tomados em conjunto, isso fornece a primeira evidência de que IIH pode ser uma manifestação do excesso de andrógeno feminino."

O autor principal, Dr. Michael O'Reilly, Hoffenberg Clinician Scientist in Human Endocrinology and Human Metabolism da University of Birmingham, disse: "Estas descobertas, pela primeira vez, implicam os andrógenos como uma causa potencial de HII."

O professor Wiebke Arlt, diretor do Instituto de Pesquisa de Metabolismo e Sistemas da Universidade de Birmingham, acrescentou: "Essas descobertas marcam um passo significativo em uma condição incapacitante anteriormente mal compreendida.

"Compreender a causa de uma doença é um passo vital para refinar os tratamentos que melhoram o atendimento ao paciente e os resultados."

Michelle Williamson, presidente da instituição de caridade para pacientes IIHUK, acrescentou: "A recente parceria para definição de prioridades de pesquisa de pacientes e médicos identificou que descobrir a causa da HII era a prioridade número um da HII. Estamos muito satisfeitos com esta descoberta. É vital para os pacientes para ver se o progresso está sendo feito. "

Este último estudo surge depois que especialistas liderados pela Universidade de Birmingham produziram recentemente as primeiras diretrizes de colaboração internacional destinadas a melhorar o tratamento e o diagnóstico de HII.

Criada por um grupo de especialistas em neurologia, neurocirurgia, neurorradiologia, oftalmologia e neurorradiologia, que tiveram experiência no gerenciamento de HII, a equipe prevê que as novas diretrizes, publicadas em outubro passado no Journal of Neurology Neurosurgery and Psychiatry, irão mudar o tratamento da doença.


Como a ciência pode ajudar a compreender o massacre do Arizona?

É comumente assumido que a testosterona, esse hormônio estereotipadamente masculino, está intimamente ligada à violência. A evidência está ao nosso redor: levantadores de peso que overdose de esteróides anabolizantes experimentam "raiva de roid", e castração & mdash a remoção da fonte de testosterona & mdash tem sido um grampo da criação de animais por séculos.

Mas qual é a natureza desse relacionamento? Se você der a um homem normal uma injeção de testosterona, ele se transformará no Incrível Hulk? E os homens violentos têm níveis mais altos de testosterona do que seus pares mais dóceis?

"[Historicamente,] os pesquisadores esperavam que um aumento nos níveis de testosterona levasse inevitavelmente a mais agressão, e isso não ocorreu de forma confiável", diz Frank McAndrew, professor de psicologia do Knox College em Galesburg, Illinois. De fato, as pesquisas mais recentes sobre testosterona e agressão indicam que há apenas uma conexão fraca entre os dois. E quando a agressão é definida de forma mais restrita como simples violência física, a conexão quase desaparece.

"O que psicólogos e psiquiatras dizem é que a testosterona tem um efeito facilitador sobre a agressão", comenta Melvin Konner, antropólogo da Emory University e autor de A Asa Emaranhada: Limitações Biológicas do Espírito Humano. "Você não tem uma relação push-pull, click-click onde você injeta testosterona e obtém agressividade."

Experimentos de castração demonstram que a testosterona é necessária para a violência, mas outras pesquisas mostraram que a testosterona não é, por si só, suficiente. Desta forma, a testosterona é menos um perpetrador e mais um cúmplice & mdashone que às vezes não está muito longe da cena do crime.

Por exemplo: independentemente do sexo, os prisioneiros mais violentos têm níveis mais elevados de testosterona do que os seus pares menos violentos. No entanto, os cientistas levantam a hipótese de que essa violência é apenas uma manifestação da meta de dominação muito mais biologicamente e reprodutivamente saliente.

"Foi sugerido que os comportamentos anti-sociais relacionados à alta testosterona são uma função da maneira pela qual a dominância é mantida nesses grupos", disse Robert Josephs, da Universidade do Texas em Austin. Em outras palavras, se os pesquisadores estudassem outros grupos de pessoas, digamos os ricos e famosos, eles poderiam descobrir que a testosterona não está ligada à violência, mas a quem dirige o maior SUV ou tem o gramado mais bonito. Como disse Josephs: "Talvez enfiar uma faca nas costas do seu vizinho possa ser útil na penitenciária, mas provavelmente não valerá nenhum ponto de status em Grosse Pointe."

Um psicólogo, James Dabbs, da Georgia State University em Atlanta, fez carreira conduzindo estudos que conectavam a testosterona a todos os tipos de estilo de vida imagináveis. No livro dele Heróis, renegados e amantes, ele observou que atletas, atores, operários e vigaristas tendem a ter níveis mais altos de testosterona do que funcionários, intelectuais e administradores.

O que Dabbs não abordou foi se essa correlação era a causa ou um efeito do ambiente em que esses homens se encontravam. Ou seja, os homens com alto teor de testosterona têm maior probabilidade de se tornarem criminosos violentos, ou ser um criminoso violento cria uma nível de testosterona do homem?

Ninguém sabe realmente a resposta, mas um crescente corpo de evidências sugere que a testosterona é tanto o resultado da violência quanto sua causa. Na verdade, tanto vencer uma partida esportiva quanto derrotar um oponente no xadrez podem aumentar os níveis de testosterona. (Por outro lado, perder uma partida esportiva, envelhecer e ficar obeso reduz os níveis de testosterona.)

"A seta causal vai para os dois lados", diz Peter Gray, da Universidade de Nevada, Las Vegas, cujo próprio trabalho mostra que o casamento e a paternidade reduzem os níveis de testosterona. "Há evidências em humanos de que, assim como em animais, a testosterona responde à competição entre homens."

Mudanças nos níveis de testosterona em resposta aos desafios podem ser posteriormente moldadas por nossas expectativas. Em um experimento que alterou a divisão entre o estado vermelho e o estado azul-escuro, pesquisadores da Universidade de Michigan em Ann Arbor fizeram um voluntário esbarrar "acidentalmente" e depois insultar homens que foram criados no norte ou no sul. Os pesquisadores levantaram a hipótese de que os sulistas vêm de uma "cultura de honra" em que as respostas agressivas aos insultos são culturalmente apropriadas, e os resultados de seu experimento reforçaram essa noção: não apenas os sulistas eram mais propensos do que seus homólogos do norte a responder com agressão, mas também seus os níveis de testosterona também aumentaram como resultado. Os nortistas, em contraste, eram muito menos propensos a experimentar um aumento na testosterona.

“Pelo que podemos dizer agora, a testosterona é gerada para preparar o corpo para responder à competição e / ou desafios ao status de alguém”, observa McAndrew. "Qualquer estímulo ou evento que sinalize qualquer uma dessas coisas pode desencadear um aumento nos níveis de testosterona."

Faz sentido & mdashin a curto prazo, a testosterona ajuda a tornar homens e mulheres maiores, mais fortes e mais enérgicos, o que seria útil para vencer uma competição física ou mesmo mental. A testosterona também é responsável pela libido em ambos os sexos e, se pesquisadores como Josephs estiverem corretos, ela alimenta nosso impulso de dominação social, que é uma maneira pela qual os humanos decidem quem consegue acasalar com quem.

Indiscutivelmente, a fraca correlação entre testosterona e violência nos dá motivos para ser otimistas sobre a raça humana: enquanto outros animais lutam por parceiros como resultado direto de suas flutuações sazonais na testosterona e outros hormônios, os humanos descobriram outras maneiras de estabelecer ordens de bicadas. O que não quer dizer que não possamos nos adaptar rapidamente às manifestações modernas de nosso passado violento: o trabalho de McAndrews demonstrou que uma maneira infalível de aumentar o nível de testosterona de um homem é permitir que ele manuseie uma arma.


Benefícios da retenção de sêmen

  • Aumenta a confiança
  • Energia alta
  • Autocontrole
  • Memória Afiada
  • Cabelo forte
  • Voz grave
  • Alivia a Depressão
  • Aumenta a libido
  • Torna você um tomador de riscos
  • Melhora o sono
  • Aumenta o sistema imunológico

O Nofap está intimamente relacionado à retenção de sêmen e ambos têm quase os mesmos benefícios. Na minha opinião, aceitar um desafio Nofap é a melhor opção, por quê? Clique para ler.

1: - Aumenta a confiança

Quando você ejacula, seu cérebro recebe uma injeção de dopamina e você sente uma sensação de prazer porque seu cérebro está recebendo uma injeção de dopamina sem nenhum esforço.

Trabalhar duro e alcançar o sucesso é um processo de longo prazo, seu cérebro sempre busca atalhos e, quando encontra um, tenta segui-lo.

A maioria de nós trabalha todos os dias para alcançar nossos objetivos, e você precisa de uma forte confiança dentro de você se realmente deseja viver a vida dos seus sonhos.

A masturbação excessiva prejudica seus receptores de dopamina. De acordo com um estudo feito pelo PubMed, pessoas com baixos níveis de dopamina geralmente têm baixa confiança.

Baixa dopamina também diminui a motivação e força de vontade, sem motivação suficiente, é quase impossível para você se tornar confiante.

2: - Aumenta a energia

Você já ouviu falar sobre a vitamina B12? Eu sei que é uma pergunta boba porque todo mundo sabe o que é, mas você conhece o trabalho da vitamina B12?

Nosso sêmen contém vitamina B12. É crucial para a resistência. Além disso, a vitamina B12 ajuda a transformar os alimentos que você consome em energia que suas células podem usar.

Também mantém fortes as células sanguíneas e nervosas do seu corpo e ajuda a interromper um tipo de anemia que pode deixá-lo cansado e fraco.

Ficamos exaustos depois de bater uma punheta e talvez seja por isso que nos sentimos extremamente cansados ​​depois de uma punheta. Perdemos vitamina B12.

Abster-se da ejaculação aumenta drasticamente os níveis de testosterona e também mantém uma quantidade suficiente de vitamina B12 em seu corpo. É por isso que as pessoas que não desperdiçam seu sêmen se sentem tão frescas e ativas o tempo todo.

Além disso, de acordo com Pubmed, a retenção de sêmen aumenta sua testosterona em 45% em uma semana. No entanto, volta ao normal após alguns dias.

O alto nível de testosterona está relacionado com a alta energia e, por outro lado, os baixos níveis de testosterona causam fadiga, perda de interesse pelo sexo e disfunção erétil.

(A pornografia e a masturbação acabam com sua motivação. Confira o Reboot Cure, um guia útil para combater o vício em PMO)

3: - Autocontrole

Os impulsos de prazer próprio são os mais fortes; de acordo com algumas pesquisas feitas no passado, os impulsos de masturbação e pornografia são ainda mais poderosos do que qualquer vício, e quando você para de ejacular, você se torna mais forte.

O autocontrole é a coisa mais difícil de fazer. Se você pode se controlar, então você pode literalmente fazer qualquer coisa, acredite em mim.

Existem várias maneiras de melhorar a contenção: você pode praticar meditação, ioga e também pode ler livros. Mas a coisa mais eficaz que você pode fazer é se abster de brincar com seu & # 8230.você sabe.

Pessoas como Nikola tesla praticavam a retenção de sêmen para maximizar seu potencial. Ele sabia o quão importante nosso sêmen é para nós.

4: - Memória Nítida

Você começará a memorizar coisas que estava esquecendo facilmente porque a retenção de sêmen ajudará a se livrar do lixo presente em seu cérebro.

Pessoas que começaram a praticar a retenção de sêmen descobriram que seu poder de memória está aumentando dia a dia.

Não há nenhuma evidência científica que torne essa afirmação verdadeira. No entanto, muitas pessoas estão percebendo que, quando se masturbam regularmente, acham difícil lembrar até das menores coisas.

(Por que 1.000 e # 8217s de pessoas como você pararam de pornografia e masturbação? Inscreva-se para saber o segredo)

5: - Cabelos Fortes

A queratina é o nutriente mais essencial para o cabelo e as unhas, e nosso sêmen contém queratina.

Pessoas que usam queratina no cabelo relatam que o cabelo fica mais liso e fácil de manejar.

A falta de queratina em seu corpo pode resultar em perda de cabelo, aspereza, ressecamento e cabelos finos.

A masturbação frequente e o desperdício de sêmen podem fazer seu cabelo ficar fino e também pode causar queda de cabelo. É melhor preservar o sêmen do que ficar careca, certo?

Além disso, quando batemos muito, nosso couro cabeludo fica seco e sentimos coceira na cabeça o tempo todo. Algumas pessoas até notaram o crescimento de piolhos na cabeça quando continuaram a se masturbar por um mês diariamente.

Pare de se masturbar por uma semana e veja por si mesmo se você acha que é uma mentira. Eu garanto, seu cabelo vai ficar melhor em termos de espessura e a coceira também vai passar.

Se você está lutando para parar de pornografia e masturbação e precisa de ajuda profissional, então compre o plano Reboot Cure, não é grátis, eu sei, mas vale a pena cada centavo, pelo menos tente uma vez.

6: - Voz profunda

A retenção de sêmen aumenta seus níveis de testosterona em 45% em apenas uma semana e torna sua voz mais grave.

My voice is loud and clear now, and this is 100% true, I have even recorded my voice from day 1 to day 30 and there was a noticeable change in my voice structure.

It will take around one week, and after that, you will feel that your voice is becoming deeper and deeper day by day, and you know girls like a deeper voice.

7:- Relieves depression

It is one of the most common mental diseases in today’s society. After masturbation our behavior changes quickly, we start to feel guilty like we have done a crime. In fact, some people get stuck in a loop where they masturbate and feel sad, and again after some time, just because they are feeling sad, they masturbate again.

This loop could be lethal for your brain. It could affect your emotions deeply and may push you in the deep darkness of depression. In these kinds of scenarios, a person requires help immediately.

As I said earlier, semen retention increases testosterone levels. Optimal levels of testosterone are associated with mental well being.

According to a study done by Harvard suggests that patients who were not reacting to the conventional anti-depressants had low levels of testosterone in their bodies.

And, when these patients were given a dosage of testosterone along with antidepressants, they reacted to it very well.

There is a fine link between testosterone and depression.

8:- Semen Retention Boosts Libido

Libido is a person’s overall sexual drive or desire for sexual activity. Most of the people who practice NoFap noticed their sexual desire is increasing, but this time, a real sexual desire, not a fake one.

However, at the same time a person who practices Nofap can also control those desires and can use it on different tasks like exercise, sport, studies, and those activities that require high energy and concentration.

A study was conducted with the help of men, age between 40-70. The group which was given a high dosage of testosterone observed a notable increase in the libido.

So, may be its all game of high testosterone.

9:- Semen Retention Makes You A Risk Taker

Here is another or extra advantage of practicing Semen Retention or NoFap.

I know people should think twice before taking any risky decision, however, without taking a big decision, the possibility of becoming successful is pretty thin.

For example, Steve Jobs. He was not so rich when he started Apple. He was a college drop out, but he took the risk, and now the whole world knows him.

According to a study, higher levels of testosterone are correlated with financial risk-taking behavior. You can read about it here

10:- Improves Sleep

Research is done on a group of men aged 65 or above revealed that low testosterone is associated with a reduction in sleep duration, less quality sleep, frequent waking up, and disturbance while sleeping. Hence, an optimal amount of free testosterone is liable for overall sleep quality.

The odd thing about this is that more sleep means more testosterone.

Men who sleep less than 5-6 hours at night has 10 percent less testosterone in their body.

So, rest for more testosterone and more testosterone means better sleep.

11:- Semen Retention Boosts Your Immune System

Our semen contains numerous essential vitamins and minerals including Calcium, Vitamin C, Citric acid, Lactic acid, Magnesium, Phosphorus, Sodium, Potassium, Vitamin B12, and Zinc.

These essential vitamins and minerals support our immune system because these nutrients work as antioxidants as well and antioxidants promote our immune system by fighting with free radicals.

12: Female Attraction

After psychological needs and safety needs, the main purpose of a male is to have sex.

Everything that a man does, he does for sex, according to psychology, sex is one of the most primary things as a human being, and when we give ourself same feeling like sex through porn and masturbation, we feel satisfied, we feel like we don’t have to do anything else now because we have got what we wanted.

But when we stop ourself from getting pleasure from unrealistic things, our brain starts to force us to do those things that can give us the same pleasure as sex. Then we do things that can help us get a real girl, then we do things that can help us accomplish our goal so we can get a partner

13: Helps In Awakening The Root Chakra

The root chakra is the first chakra. Its energy is based on the earth element. It’s linked with the feeling of safety and grounding. It’s at the base of the chakra system and sets the foundation for expansion in your life.

The root chakra is found at the base of the spine. The corresponding body areas are the perineum, with the first three vertebrae, at the pelvic plexus. This chakra is often represented as a cone of energy starting at the base of the spine and going down and then slightly bent up.

It’s been observed that people who follow Nofap for a longer period of time, feel their root chakra is opening up.

14: Improves Your Sporting Performances

It is a highly debatable topic. Some people say it does not affect anyway and some people advise quitting masturbation a couple of weeks before taking part in any sporting event.

As a college football (Soccer) player, I too the decision of noticing my performances after ejaculation and while practicing Nofap.

Whenever I go to the football field when I am on NoFap, I feel more power and energy, and that helps me in giving my 100%, but when I come to the pitch after ejaculation. I don’t feel much power and my mind also doesn’t work well.

Famous boxers like Muhammed Ali and Myke Tyson also used to stay away from sex and masturbation before the match. Their coach used to guide them.

15: Makes You Feel Happy

Porn and masturbation only give you pleasure for a couple of hours, and after that, reality hits you.

Most of the people who are addicted to masturbation feel guilty and sad, and because they feel sad they masturbate more and they stuck in a loop, and it becomes tough to break that loop.

Quitting masturbation makes you feel better, your dopamine levels start to get back to normal. Once it will reach to normal, you’ll find happiness in every moment, even if it is small.

16: Strong Muscles

According to a study done with the help of 28 individuals in 2003, found that not ejaculating for 7 days boosted testosterone levels by 145.7%.

And, do you know testosterone is responsible for increased muscle mass and lean body? There are several studies that indicate the same.

However, it is important to train your self and exercise regularly to get the maximum advantage of practicing Semen Retention.

Many gym trainers also guide people to control or abstain completely from fapping, because they know that if you continue to fap daily, you’ll not meet the desired goals.

Also, testosterone also strengthens the bones, it plays a big role in bone mineral density.

Bone density drops when a man ejaculates his semen daily and testosterone levels decrease. Strong bones help support your muscles and internal organs, which can boost athletic performance.

That’s why athletes often stay away from ejaculation before the game because they know if they masturbate there performance will not come up best.

17: More Time

Have you ever calculated how much time you waste in all this stuff? I guess, you haven’t.

“They say “time is money”. But I want to say “time makes money”. This means time is greater than money.”
Israelmore Ayivor

There are hundreds of blog posts out there on time management, but all are waste until you stand up for yourself and decide to quit PMO.

PMO takes hours and within an hour you can do a lot of things like writing a post like this one or creating a video for your YouTube channel or Learning where to invest the money that you have earned by a lot of hard work. Everything is only possible if you stand up for yourself and take big steps.

People think making money is pretty difficult to earn, and it is true. However, we make it even more difficult by spending our precious time-consuming porn just for our genital satisfaction.

18: Unlimited Motivation

Without motivation, you can’t achieve anything. Motivation is an important life skill.

The reason it’s so important because every person on this earth is unique and has a purpose.

To steward your purpose well, you have to be motivated to work towards your goals, which helps your dreams become a reality.

But PMO addicts struggle to generate motivation to do anything that requires hard work. Since I am on NoFap, I personally felt that the NoFap has boosted my self-motivation, and that is why I dream big, and most importantly, I do the hard work to make it a reality.


Everything you need to know about wet dreams

While wet dreams are typically associated with adolescent boys, they are a common experience for both sexes from puberty through adulthood. The medical term for a wet dream is nocturnal emission.

In this article, we look at the facts about wet dreams and debunk some of the myths surrounding this normal, healthy occurrence.

Share on Pinterest A wet dream is known medically as a nocturnal emission and may affect both men and women.

Wet dreams are when a person orgasms involuntarily while they are sleeping because of a dream, which may or may not be erotic.

They are called wet dreams because when a male has this type of dream, he may awaken with wet clothing or bedding. This is because semen, the fluid containing sperm, is released during ejaculation.

However, the same term is also used to refer to when a woman orgasms during sleep.

Wet dreams are not caused by masturbation during sleep they occur without any manual stimulation.

Research has found that, on average, 8 percent of dreams have some sexual content. In the same study, both men and women reported having an orgasm in about 4 percent of their erotic dreams.

There are many myths about wet dreams, which can make them confusing or cause anxiety if a person does not know what to expect.

1. Wet dreams do not reduce sperm count

Some people believe that wet dreams will reduce a man’s sperm count. However, wet dreams are a way for the testicles to remove older sperm and help with the natural formation of new, healthy sperm in the body.

2. Women can have wet dreams

Many people associate wet dreams with men or, more specifically, adolescent boys, but women can also have wet dreams.

A female wet dream may result in orgasm as well as additional vaginal secretions from arousal.

Men may be more prone to wet dreams because they naturally produce several erections a night.

3. Wet dreams do not reduce a person’s immunity

Some people believe that wet dreams can cause a person to have lower immunity to things such as a cold or infection. This is a myth and has no basis in fact.

However, wet dreams can help reduce excess sperm in the testicles, which is a healthy function for a male’s reproductive system.

4. Wet dreams only happen during puberty

While wet dreams are most common during puberty, they can also happen during adulthood.

Wet dreams tend to occur more often in puberty due to hormonal changes. Hormone levels in adults are much more consistent, making it less likely that they will have a wet dream.

Wet dreams may also be more frequent during adolescence because younger boys may not frequently be masturbating or having sex, so the older sperm is released during sleep instead.

5. Wet dreams are not a sign of illness

It is a myth that wet dreams are a result of an underlying illness or medical condition. In fact, the opposite is true.

Wet dreams are a normal occurrence and may be a sign of healthy sexual functioning.

6. Masturbation probably cannot prevent wet dreams

While masturbation may reduce the number of wet dreams a person experiences, it does not guarantee a person will never experience them.

Evidence linking masturbation and wet dreams is lacking, but a person can experiment to see if it helps in their situation.

Try masturbating before bed for a week or more, followed by the same length of time without masturbating, to see if there is a difference in the frequency of wet dreams.

7. Wet dreams will not shrink a penis

Some people believe that wet dreams reduce the size of the person’s penis. However, there is no scientific evidence for this.

There are no illnesses, conditions, or natural occurrences that will cause the male reproductive organ to shrink.

8. Some people never have wet dreams

Wet dreams are a natural occurrence for both men and women. They cannot be controlled or stopped, and a person should not feel ashamed to have them.

How often wet dreams occur varies between individuals. People may have:

  • no wet dreams ever
  • only a few, sporadic wet dreams during adolescence
  • several, frequent wet dreams throughout adolescence but none in adulthood
  • regular or sporadic wet dreams throughout their life

9. Wet dreams are not always erotic dreams

Wet dreams are often associated with sexual or erotic dreams. However, this is not always the case.

A person can have a wet dream without dreaming about sexual activity and may become aroused due to stimulation from friction with the bedding or other factors.

10. Sleeping on the stomach may induce a wet dream

One study suggests that sleeping on the stomach makes it more likely the person will experience a sexual dream.

The evidence is limited, however, and more studies need to be done to determine if sleep position plays any role in whether a person experiences wet dreams.


ARTIGOS RELACIONADOS

The researchers recruited 58 men and divided them into two groups, one of which was administered a testosterone gel and the other a colourless placebo gel made of water and alcohol.

After a three-hour resting period, the participants were placed in an MRI scanner and their functional brain activity was measured while they undertook a so-called 'social discounting' task.

This involved considering people of varying degrees of social distance — that is, in the sense of family/friend through acquaintance to complete stranger, rather than the notion of social distancing we have become accustomed to during COVID-19.

For each, participants were given a choice — would they prefer to take a given amount of money for themselves (the 'selfish option'), or a smaller amount of money that also saw the person in question given money as well (the 'generous' option).

Values for the reward in the selfish option ranged from 130–290 CNY (£14–32), while the generous option was fixed at 130 CNY (£14) for both participant and person.

'We find that testosterone induces more selfish choices, particularly when distant others are concerned,' the researchers concluded.

Furthermore, the MRI scan revealed that the testosterone gel appeared to lower activity in the brain's so-called temporoparietal junction, which previous studies have linked to a consideration for the welfare of others.

The full findings of the study were published in the journal Proceedings of the National Academy of Sciences.

TESTOSTERONE EXPLAINED

Testosterone is the male sex hormone and is mostly made in the testicles, but also in adrenal glands, which are near the kidneys.

It causes the voice to deepen, body hair to grow and the genitals to become larger during puberty.

As well as affecting sex drive and sperm production, it also plays a role in developing strong bones and muscles, and how the body distributes fat.

Women also create small amounts of the hormone in the ovaries and adrenal glands, and it affects their fertility and bones and muscles.

Testosterone levels which are too high or too low can cause various problems.

Low testosterone in men can cause erection problems, low sex drive, infertility, weakened muscles and bones, body fat gain and hair loss.

Too much testosterone, however, can trigger puberty in boys under the age of nine, is linked to aggression, and can increase the risk of prostate problems, including cancer.

Male testosterone levels tend to be highest when he is around 20 years old, and decline naturally with age.