Artigos

O sistema neuroendócrino: hipotálamo, hipófise e seu funcionamento

O sistema neuroendócrino: hipotálamo, hipófise e seu funcionamento

O sistema endócrino é composto de neurônios e glândulas que produzem e secretam hormônios, que são substâncias químicas produzidas no corpo que regulam a atividade das células e órgãos. Esses hormônios regulam o crescimento do corpo, o metabolismo (os processos físicos e químicos do corpo) e o desenvolvimento e a função sexual. Os hormônios são liberados na corrente sanguínea e podem afetar um ou vários órgãos do corpo.

Conteúdo

  • 1 Função de hormônios
  • 2 Hipotálamo e hormônios da hipófise
  • 3 Glândula pituitária
  • Sistema 4 Neurohypophysis
  • 5 Sistema adenohipófise: sistema portal hipotalâmico hipofisário
  • 6 eixos do sistema portal hipotalâmico da hipófise
  • 7 Hormônios não liberados por ação da hipófise
  • 8 Hormônios da medula adrenal
  • 9 Hormônios do pâncreas
  • 10 Outros hormônios

Função hormonal

Hormônios são mensageiros químicos criados pelo corpo. Eles transferem informações de um conjunto de células para outro para coordenar as funções de diferentes partes do corpo.

As principais glândulas do sistema endócrino são as hipotálamo, hipófise, tireóide, paratireóide, glândulas supra-renais, corpo pineal e órgãos reprodutivos (ovários e testículos). O pâncreas também faz parte desse sistema; Tem um papel na produção de hormônios e também na digestão.

Os hormônios controlam um grande número de funções fisiológicas (metabolismo, reações de alerta, homeostase, crescimento, reprodução, dor etc.), mas também estão muito envolvidos no comportamento.

As glândulas podem ser dos seguintes dois tipos:

  • Glândulas exócrinas, que secretam seus produtos através de ductos (glândulas digestivas, suor, mamários).
  • Glândulas endócrinas, que secretam hormônios no sangue e atuam nos órgãos ou tecidos alvo.

Hipotálamo e hormônios da hipófise

O hipotálamo do tamanho de uma amêndoa está localizado sob o tálamo e está localizado logo acima do tronco cerebral. Todos os cérebros de vertebrados têm um hipotálamo. Sua principal função é manter a homeostase (estabilidade do ambiente interno) no corpo.

Uma das principais funções do hipotálamo é controlar o sistema endócrino, por meio de células neurossecretoras, neurônios especializados que, em vez de secretar um neurotransmissor, liberam um hormônio na corrente sanguínea.

Ele O hipotálamo liga os sistemas nervoso e endócrino através da glândula pituitária. Sua função é secretar hormônios liberadores e inibir hormônios que estimulam ou inibem (como o nome indica) a produção de hormônios na adenohipófise. Aglomerados neuronais especializados chamados células neurossecretoras no hipotálamo produzem os hormônios Hormônio antidiurético (ADH) e ocitocina (OXT) e os transportam para a glândula pituitária, onde são armazenados para posterior liberação.

A glândula pituitária está localizada na base do cérebro, ligada ao hipotálamo por um tronco (a eminência média), e consiste em duas partes muito diferentes, que funcionam independentemente e têm origens embriológicas diferentes:

  • Hipófise posterior ou neuro-hipófise, considerado como uma extensão do hipotálamo. Ele armazena e libera dois hormônios sintetizados pelo hipotálamo.
  • Hipófise anterior ou adenohipófiseNão possui conexão nervosa e age como uma glândula real. Secreta hormônios que vão para as glândulas ou tecidos endócrinos.

O controle que o hipotálamo exerce sobre a hipófise é realizado das seguintes maneiras:

  • Diretamente, sintetizando hormônios (ocitocina e vasopressina) que viajam através dos axônios das células hipotalâmicas até a neuro-hipófise. De lá, eles são liberados para a circulação geral.
  • Indiretamente, sintetizando hormônios (fatores de liberação) que são secretados no vaso portal da eminência média e transportados para a adenohipófise. Esses hormônios estimulam ou inibem a atividade secretora das células da hipófise anterior.

Assim, o hipotálamo se comunica neuralmente com a hipófise posterior e pelo sangue com a hipófise anterior.

Glândula pituitária

A hipófise é uma pequena glândula no cérebro. É conhecido como a glândula mestra, porque os hormônios que produz afetam a produção de muitos outros hormônios e funções no corpo.

Ligado ao hipotálamo, é um corpo cinza-avermelhado do tamanho de uma ervilha que armazena hormônios do hipotálamo e os libera na corrente sanguínea. A hipófise é dividida em um lobo anterior e um lobo posterior, cada um com funções diferentes.

Os hormônios produzidos pela hipófise Anterior afeta a função adrenocortical, desenvolvimento sexual, crescimento, pigmentação da pele e função da tireóide. Se a parte anterior da hipófise não funcionar adequadamente, ocorrerá atraso no crescimento e diminuição da função de todas as outras glândulas controladas por essa parte da hipófise, exceto pelas paratireóides. Quando ocorre uma função hipofisária anormal, há excesso de crescimento ou acromegalia.

A hipófise posterior É a parte de trás da glândula pituitária.Secreta hormônio antidiurético (ADH) que afeta a retenção de água no corpo e a oxitocina, o que facilita a união e as contrações uterinas. A falta de ADH causa diabetes insípido, o que leva ao excesso de urina e possivelmente à desidratação.

Sistema de neurohipófise

A secreção da hipófise posterior consiste na liberação dos dois hormônios a seguir:

  • Ocitocina
  • Vasopressina ou hormônio antidiurético (ADH)

Esses hormônios são produzidos em dois núcleos do hipotálamo que contêm grandes neurônios, o magnocelular. Os núcleos hipotalâmicos são os seguintes:

  • Supraoptic
  • Paraventricular

Os axônios das células desses núcleos passam pela eminência média até a neuro-hipófise, onde entram em contato com os capilares sanguíneos da circulação geral e liberam os hormônios mencionados.

Vasopressina e ocitocina são peptídeos sintetizados como pró-hormônios no somatório dos neurônios magnocelulares e transportados em vesículas ao longo dos axônios até a neuro-hipófise. É quando os hormônios oxitocina e vasopressina são formados.

Funções da ocitocina

São funções relacionadas à reprodução. Essas funções são as seguintes:

  • Estimular a secreção de leite pelos seios durante a amamentação.
  • Promover contrações uterinas no momento da fertilização e parto.

Funções da vasopressina

  • Causar a reabsorção de água nos rins, portanto, diminui a produção de urina.
  • Contribuir para a homeostase: regular o volume sanguíneo, o equilíbrio eletrolítico e a pressão arterial (aumenta).

Sistema adenohipófise: sistema portal hipotalâmico hipofisário

A adenohipófise funciona como uma verdadeira glândula endócrina, pois é formada por células neurossecretoras. Além disso, também está sob rigoroso controle hormonal pelo hipotálamo.

Hormônios hipotálamo Eles geralmente são pequenos peptídeos e são chamados de fatores liberadores ou hormônios liberadores e fatores inibidores ou hormônios inibidores, dependendo de agirem estimulando ou inibindo a secreção hormonal da glândula pituitária anterior.

Como os hormônios são liberados?

Existem núcleos hipotalâmicos da zona periventricular (por exemplo, o arco, o periventricular, a área pré-óptica medial) que sintetizam e enviam os fatores de liberação ou inibição na circulação portal (os capilares da eminência média). A partir daí, eles são transportados para a adenohipófise, onde estimulam ou inibem as células que secretam hormônios da hipófise.

Os hormônios adeno-hipofisários atuam em outras glândulas do corpo e estimulam a liberação de hormônios no sangue. Algumas dessas glândulas são as glândulas supra-renais, a tireóide, as gônadas, as glândulas mamárias.

Quais são os hormônios secretados pela hipófise anterior?

Das hormônios secretados pela adenohipófiseQuatro são hormônios trópicos, ou seja, possuem outra glândula na qual atuam para regular sua produção hormonal. Estes são os seguintes:

  • Hormônio adrenocorticotrópico ou corticotropina (ACTH). O acrônimo com o qual os hormônios são comumente conhecidos corresponde ao nome em inglês (ACTH, hormônio adrenocorticotrópico).
  • Hormônio estimulante da tireóide (TSH) ou tireotropina. Eles incluem o hormônio folículo-estimulante (FSH) e o hormônio luteinizante (LH)

Além desses hormônios trópicos, a adenohipófise também secreta:

  • Prolactina
  • Hormônio do crescimento (GH) ou somatotropina

Tendo em conta o órgão alvo dos hormônios da hipófise, podemos distinguir diferentes eixos hormonais:

  • Eixo hipotálamo-hipófise corticoadrenal
  • Eixo hipotálamo-hipófise da tireóide
  • Eixo gonadal hipotálamo-hipófise
  • Eixo da prolactina
  • Eixo do hormônio do crescimento

Eixos do sistema portal hipotalâmico da hipófise

Eixo hipotálamo-hipófise corticoadrenal

O principal controle desse eixo é exercido pelo hormônio ACTH da hipófise anterior; Quando o ACTH atinge a glândula adrenal, ocorre a liberação do hormônio. A secreção de ACTH é controlada pelo hormônio hipotalâmico CRH e também pelo nível de hormônios adrenocorticais (ou corticosuprenais) no sangue. Se o nível de hormônios adrenocorticais diminui, ocorre a secreção de CRH e ACTH.

Hormônios adrenocorticais

Glicocorticóides:

  • Aumente o nível de glicose no sangue, acelere a degradação de proteínas.
  • Em altas concentrações, eles têm efeitos anti-inflamatórios.

Os mineralocorticóides:

  • Eles causam retenção de íons sódio e eliminação de íons potássio na urina.

O que acontece quando há um déficit de hormônio adrenocortical?

Doença de Addison, que consiste em uma hipofunção das glândulas supra-renais. Tem as seguintes conseqüências: cansaço, apatia, déficits cognitivos, depressão, etc.

O que acontece quando há excesso de hormônios corticosteróides adrenais?

Em situações de estresse crônico, uma grande quantidade de glicocorticóides é liberada e isso significa que, a médio e longo prazo, há uma depressão no sistema imunológico, um aumento na pressão sanguínea, danos no tecido nervoso (por exemplo, no hipocampo) e músculo, inibição do crescimento, infertilidade, etc.

Eixo do hipotálamo da hipófise da tireóide

O principal controle desse eixo é exercido pelo hormônio TSH da hipófise anterior; Quando o TSH atinge a glândula tireóide, ocorre a liberação de hormônios da tireóide. A secreção de TSH é controlada pelo hormônio hipotalâmico TRH e também pelo nível de hormônios tireoidianos no sangue. Se o nível de hormônios da tireóide diminuir, ocorre a secreção de TRH e TSH.

Hormônios da tireóide

  • O papel principal é regular os processos metabólicos e principalmente o uso de carboidratos.
  • Também influencia o crescimento e o desenvolvimento, tanto do corpo quanto do sistema nervoso.

O que acontece quando há um déficit de hormônios da tireóide (hipertireoidismo)?

Se for durante o desenvolvimento, há um detenção do crescimento corporal, malformações faciais e redução do tamanho e estrutura das células cerebrais. Isso implica retardo mental e é chamado cretinismo.

Se ocorrer mais tarde, eles são observados distúrbios comportamentais como apatia, depressão, atraso na fala, etc.

O que acontece quando há excesso de hormônios da tireóide (hipertireoidismo)?

Geralmente, alterações fisiológicas e comportamentais: insônia, irritabilidade, nervosismo, aumento da freqüência cardíaca e pressão arterial, alterações de temperatura, perda de peso, etc.

Quais são as principais funções dos hormônios sexuais?

Andrógenos:

  • Eles promovem o desenvolvimento, crescimento e manutenção dos órgãos reprodutores masculinos.
  • Eles promovem o desenvolvimento de características sexuais secundárias masculinas (forma do corpo, tom de voz, barba, etc.).
  • Estimular o metabolismo das proteínas.

Estrogênios:

  • Eles promovem o desenvolvimento, crescimento e manutenção dos órgãos reprodutivos femininos.
  • Eles promovem o desenvolvimento de características sexuais secundárias femininas (forma do corpo, seios, padrão de cabelo, etc.).

Os progestágenos:

  • Prepare as paredes do útero para implantação do óvulo fertilizado.
  • Prepare os seios para secretar o leite.

Eixo da prolactina

A prolactina estimula a produção de leite pelas glândulas mamárias. Durante a amamentação, o hipotálamo reduz a secreção de dopamina, para que seja produzido um nível suficiente de prolactina e a produção de leite não pare.

Eixo do hormônio do crescimento

Hormona do crescimento ou somatotropina estimula o crescimento do corpo produzindo substâncias que regulam o crescimento ósseo. É controlado pelo GHRH, que estimula sua produção e somatostatina, que o inibe.

A escassez de GH produz nanismoenquanto o excesso produz gigantismo. No entanto, se o excesso estiver na idade adulta, ele não produzirá mais gigantismo porque os ossos não poderão crescer em comprimento, mas ocorrerá acromegalia, caracterizado por um aumento de alguns tecidos, como a mandíbula e as articulações das mãos e pés.

Hormônios não liberados por ação da hipófise

Até agora, tratamos todos esses hormônios, a secreção daqueles sob o controle dos hormônios trópicos da glândula pituitária. A seguir, explicaremos os hormônios que escapam desse controle hipotalâmico-hipofisário.

Hormônios da medula adrenal

A região interna das glândulas supra-renais constitui a medula adrenal e libera os seguintes hormônios:

A principal função desses hormônios é preparar o organismo para situações de grande esforço ou tensão (fornece um suprimento sanguíneo maior ao coração, músculos esqueléticos e cérebro) e desencadeia diferentes processos metabólicos que fornecem a energia necessária para esses órgãos. funcionar adequadamente (aumenta a glicose e o oxigênio no sangue).

Hormônios do pâncreas

O pâncreas é uma glândula que secreta vários hormônios, entre os quais os seguintes:

  • Insulina
  • Glucagon

A insulina é liberada como resultado de um aumento nos níveis de açúcar no sangue e sua função é estimular a captação de glicose pelos tecidos e transformar o excesso de glicose em glicogênio (armazenado no fígado e nos músculos) e triglicerídeos (no tecido adiposo).

O glucagon é liberado depois de um tempo sem comer, à medida que os níveis de glicose no sangue diminuem. O glucagon causa um aumento na glicose porque faz com que o glicogênio hepático se degrade e se torne glicose.

Outros hormônios

Existem muitos outros hormônios, como os listados abaixo:

  • Gastrointestinal (colecistoquinina, gastrina, etc.)
  • Reguladores de cálcio (paratireóide, calcitonina)
  • Melatonina

Visite aqui o nosso Atlas visual e interativo do cérebro

Referências

Bradford, H.F. (1988). Fundamentos de neuroquímica. Barcelona: Trabalho.

Carlson, N.R. (1999). Fisiologia comportamental. Barcelona: Ariel Psychology.

Carpenter, M.B. (1994). Neuroanatomia Fundamentos Buenos Aires: Editorial Panamericano.

Delgado, J.M .; Ferrús, A.; Mora, F.; Blonde, F.J. (eds) (1998). Manual de Neurociências. Madri: Síntese.

Diamond, M.C .; Scheibel, A.B. e Elson, L.M. (1996). O cérebro humano Livro de trabalho. Barcelona: Ariel.

Guyton, A.C. (1994) Anatomia e fisiologia do sistema nervoso. Neurociência Básica Madri: Editorial Médico Pan-Americano.

Kandel, E.R .; Shwartz, J.H. e Jessell, T.M. (eds) (1997) Neurociência e Comportamento. Madri: Prentice Hall.

Martin, J.H. (1998) Neuroanatomia. Madri: Prentice Hall.

Nolte, J. (1994) O cérebro humano: introdução à anatomia funcional. Madri: Mosby-Doyma.

Testes relacionados
  • Teste de depressão
  • Teste de depressão de Goldberg
  • Teste de autoconhecimento
  • Como os outros vêem você?
  • Teste de sensibilidade (SAP)
  • Teste de personagem